Paz e dignidade a todos, pois Ele nos quer bem!

Renato e JoséPor muitos anos ‘seu Renato’ foi um homem em ‘situação de rua’, um mendigo. Sem família ou amigos, isolado do mundo por conta da cegueira causada pela catarata, fazia seu ponto no Largo do Paissandu e dormia sob as marquises próximas. Cabeça curvada, ombros caídos, cabelo desgrenhado, roupas em trapos, sujas e fedidas, voz fraca, sua postura e condição corporal denunciavam seu estado de alma. Um morto-vivo. Escuridão, fome, solidão, desespero e angústia eram suas companheiras.

Conheci-o em junho de 2013, quando foi levado pela mão por outros mendigos ao albergue da Missão Cena. Sempre quieto, contrastando com a agitação e barulho do ambiente, ficava pelos cantos aguardando com resignação que lhe levassem o prato de comida. Naquele inverno, semana após semana, pude ministrar sobre a vida de Jesus, baseado no Evangelho de João. Ao final de cada noite, conversávamos e orávamos juntos.

Seu Renato destacava-se não só por sua vulnerabilidade, mas também por sua fé. Ao final da noite, um a um os albergados dirigiam-se pra suas camas. Seu Renato não. Negava-se a deitar-se enquanto não orássemos com ele. A foto abaixo registra um desses momentos. Algumas vezes estava já indo embora quando era exortado por um dos voluntários: “Pastor, não vai orar pelo seu Renato? Ele está lá, esperando”! Trago na memória a imagem dele em pé, ao lado do colchão, sozinho, com a cabeça curvada, aguardando a oração…

A operação do Evangelho na vida de uma pessoa nunca é fruto do esforço isolado de uma pessoa. Ao contrário, muitos são coparticipantes da santa obra do Espírito. Registro aqui, portanto, minha gratidão e admiração por todo pessoal da Missão CENA, pelo João Carlos Batista Boca, missionários (Josimar Chaves da Silva), muitos voluntários ( Filipe Marques Silva Lopes, Daniel Marques Silva, Edison Amaral Lopes) que com grande empenho, sacrifício e fé, durante anos, têm investido na vida deste e de muitos outros “Renatos”, até que a imagem de Cristo seja formada na vida destas pessoas.

Mas permita-me compartilhar esta enorme e indescritível alegria de fazer parte DESTA história! Em dias de tantas desesperanças e tragédias, a história do seu Renato é para mim um marco, um memorial a ser preservado e cuidado com todo carinho. O Eterno continua sendo Deus! Cristo continua sendo especialista em transformar vidas quebradas e o Espírito Santo continua agindo em meio ao caos de nossas cidades, trazendo vida e glória aos que, aos olhos do sistema-mundo, nada são.

Encontrei com seu Renato esta semana. Aguardava por este dia. Foi um longo e gradual processo, mas aqui está um novo homem em todos os sentidos. Cheio de vida, voz forte, postura ereta, rosto e roupas limpas… Convertido ao amor e graça de Cristo, curado da catarata, restaurado emocional e socialmente, trabalha com dignidade no centro de São Paulo, distribuindo simpatia e cordialidade a todos!

Quando nós, povo da cruz, mesmo com toda a nossa pequenez, seguimos as pegadas do nosso Senhor Jesus Cristo, e acreditamos na força do Evangelho do amor, e servimos as pessoas com desprendimento, e oramos com fé… o Reino do bem se manifesta em todo seu poder e graça e glória.

Na falta de melhores palavras, convido-lhe a parafrasear os anjos… Glória a Deus nas maiores alturas e paz, dignidade, vida, amor e graça a todas as pessoas, nesta terra ferida, pois Ele nos quer bem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *