Tribos Indígenas Nordestinas

índia brasileira

O Brasil possui 258 tribos indígenas, com uma população de aproximadamente 378 mil pessoas.

No Nordeste encontram-se 39 tribos, com 81 mil pessoas (21% do total Brasileiro). Destas:

  • 15 tribos, infelizmente, já não falam mais sua própria língua
  • 18 têm trabalho missionário evangélico: 17 em andamento e 1 trabalho emancipado, ou seja, o povo foi alcançado!

É o povo Urubu-Kaapor, do Maranhão e Pará. Eles são cerca de 800 pessoas e já têm o NT em sua própria língua.

Outras 21 tribos não têm nenhuma iniciativa missionária evangélica. Destas:

  • 5 têm situação indeterminada (precisam de mais estudos)
  • 10 têm trabalho somente católico
  • 6 não têm qualquer presença cristã

Veja os detalhes:

Tribos do NE, Não-Alcançadas, sem presença missionária: (Nome, Estado, População)

  1. Jiripancó (AL/PE), 1.500
  2. Kantaruré (BA), 353
  3. Karapotó (AL), 796
  4. Kariri (CE/PE), ?
  5. Krejê (MA/PA), 30, tradução Bíblica necessária
  6. Pankaru (BA), 84

Tribos Nordestinas Não-Alcançadas, mas com trabalho evangélico em andamento:

  1. Guajá ((MA/PA/TO), 300, tradução em andamento
  2. Guajajara (MA), 15.000, NT na língua
  3. Gavião (do MA), 466, tradução numa língua similar
  4. Fulniô (PE), 5.000
  5. Kaimbé (BA), 1.270
  6. Kapinawá (PE), 2.500
  7. Kariri-Xocó (AL), 2.500
  8. Kiriri (BA), 1.401, existem convertidos, mas sem missionários
  9. Krikati (MA), 620, tradução em andamento
  10. Pankararé (BA), 1.500
  11. Pankararu (AL/PE/MG), 5.000
  12. Pataxó (BA/MG), 7.000
  13. Potiguara (PB), 7.575
  14. Tapeba (CE), 2.491
  15. Tremembé (CE), 3.500
  16. Tuxá (BA/PE), 1.630
  17. Xukuru (PE), 6.363

Tribos Nordestinas Não Alcançadas, mas com presença Católica

  1. Kambiwá (PE), 1.578
  2. Paiaku (CE), 220
  3. Pataxó-Hãhãhãe (BA), 1.865
  4. Pitaguari (CE), 871
  5. Tingui-Botó (AL), 350
  6. Truká (BA/PE), 1.333
  7. Tupinikim (BA/ES), 1.386
  8. Wassu (AL), 1.447
  9. Xocó (AL/SE), 250
  10. Xukuru-Kariri (AL/BA/MG), 1.820

Tribos com Situação Indeterminada em relação à Evangelização

  1. Kalankó (AL/PE), 230
  2. Karuazu (AL/PE), ?, precisa de tradução Bíblica
  3. Pipipã (PE), ?
  4. Tumbalalá (BA), 900
  5. Tupinambá (BA/PA), 1.200

Brasil, Ianomami, Maita-India

É importante compreender que, do ponto de vista missionário, na perspectiva bíblica, para que uma nação (etnia/povo) seja considerada alcançada pelo Evangelho, não basta haver presença missionária, nem mesmo alguns convertidos.

Para que um povo seja alcançado é necessário haver uma igreja autóctone (nativa, formada pelo próprio povo) madura, isto é, capaz por si mesma de evangelizar o seu próprio povo.

Em outras palavras, precisa haver uma “igreja”, e esta deve ser:

a) auto-governada,

b) auto-sustentada, e

c) auto-propagadora.

Temos muito que agradecer, honrar e aprender do trabalho missionário pioneiro daqueles que se dedicaram totalmente, sacrificialmente, na grande parte das vezes, solitariamente, para levar o Evangelho a estes povos. Que o Senhor lhes recompense e que possam se alegrar em ver os frutos de seu trabalho!

A triste realidade, que nos desafia a continuar a orar e trabalhar, é que depois de mais de 100 anos de presença evangélica no Brasil, SOMENTE UMA tribo indígena Nordestina pode ser considerada alcançada!

Onde estávamos, como igreja, durante todos estes anos? para onde fomos? que estradas percorremos que nos afastaram de levar o Evangelho a estes que são nossa gente, nosso sangue, nossa mais legítima raíz! Onde estão aqueles que foram enviados pelo Senhor? ou pensamos que Ele não tem chamado ninguém para esta missão?

Onde estão as igrejas que enviarão novos missionários? que os sustentarão em oração e com recursos? A resposta é óbvia: Estamos aqui, a poucos quilômetros destas tribos…

Como igreja nordestina, é tempo de nos levantarmos em direção a estas tribos. Em nossas igrejas estão os vocacionados que completarão esta tarefa. Sobre nossos ombros repousa a responsabilidade de ouvir a voz de nosso Pastor, obedecer sua Palavra e honrar o exemplo de coragem e determinação daqueles que nos antecederam.

Como ouvirão, se não há quem pregue…?

E como pregarão, se não forem enviados?

Roguemos ao Senhor da seara que envie trabalhadores para sua seara!

  • diego

    Nos realmente devemos é aprander com eles, fomas de viver em armonia com a natureza, eu mesmo mi mudei para uma tribo chamada pipipã, a onde eu posso vivier o reto da minha vida sem siperucupar com horario sem trabalhor sor ajudando uns au outros, sem tecnologia…
    so com som da natureza que é o som de deus

  • Erika

    me ajudou muito em pesquisas de escola bjos para os criadores dele , obrigada pela enorme ajuda!! kk

  • Edu Roberto

    Existe uma coisa na Bíblia que se chama Livre Arbítrio e que foi o Deus maravilhoso que eu tanto admiro também, e se existe respeito pela natureza, é porque esse Maravilhoso Deus que é o meu criou então não deve estar errado eles seguirem assim e não vi ainda índio selvagem se você pode chamar assim destruir o ar a água e a terra que vivem, eles a tratam melhor que muitos religiosos. Eu respeito todas as religiões pois todas são de Deus, porém, os homens as tornam boas ou ruins seja quais forém.

  • Aline-parnaiba-lima

    eu adorei esse tema

  • Revoltada

    Me revolta ver esse tipo de conduta perante aos indígenas. Vcs ignoram as crenças e deuses que eles mesmos tême que fazem parte da arte, vivência, costumes alimentares e rotineiros que são englobados. Espero que vocês não alcancem mais povo ALGUM.